Série Dança com Sesc traz performance do grupo Fragmento Urbano (3/9)

0
73
Foto: Hernandes Oliveira
Há mais de dois meses no ar, a programação da série Dança #EmCasaComSesc traz na próxima semana as apresentações “Agnes & Alice”, com Eliana de Santana, na terça-feira (1/9), e “Espaço Seguro Para Ficar em Risco”, com Douglas Iesus e Anelise Mayumi, do grupo Fragmento Urbano, na quinta-feira (3/9).
A série mostra novos trabalhos todas as terças e quintas, às 21h30, no canal do YouTube do Sesc São Paulo e no perfil do Sesc Ao Vivo no Instagram , sempre com uma apresentação ao vivo de dança direto da casa do artista .

Em “Agnes & Alice”, solo apresentado por Eliana de Santana na terça-feira (1/9), a busca pelo esvaziar-se resulta na construção de um corpo-espaço traduzido como permanência, com temáticas que passam pela presença do feminino, do vazio e do desnudamento.
A obra faz referência à pintora Agnes Martin (1912-2004) e à pianista e compositora Alice Coltrane (1937-2007), duas artistas que escolheram o recolhimento e a busca interior para trabalhar em suas respectivas obras, escolha que hoje se mostra, de alguma maneira, em sintonia com o momento de isolamento social.
Eliana de Santana é intérprete e coreógrafa e atualmente dirige a E² Cia de Teatro e Dança, onde mantém parceria com vários artistas da cena contemporânea paulistana.

“Espaço Seguro para Ficar em Risco”, apresentada por Douglas Iesus e Anelise Mayumi, do grupo Fragmento Urbano, na quinta-feira (3/9), é uma performance criada a partir do desdobramento de dois trabalhos anteriores: “Na pressão” e “Balada Manifesto”.
Movidos pelos questionamentos levantados pelo que seria o “novo normal” nas periferias, os artistas se perguntam quais danças necessitam ser reinventadas para manter-nos vivos e como dançar em casa pode ser um privilégio para alguns ou alternativa para outros neste momento.
Na performance cênica, são utilizados sacos transparentes para elaborar a poética e estética visual das pressões diárias às quais estamos submetidos. O grupo Fragmento Urbano nasceu em 2009 da inquietude de jovens da periferia da Zona Leste de São Paulo, que traziam como ponto de interesse comum a criação de espetáculos a partir das linguagens de Funk Styles, do Hip Hop e da intervenção urbana.
Compreendendo a dança como um campo de pesquisa amplo e profundo, atualmente as pesquisas para criação se concentram na investigação de uma corporeidade periférica, afro-diaspórica, ameríndia, plural e potente.

A ação #EmCasaComSesc proporciona o encontro do público com artistas das mais diversas linguagens e estilos, em ambiente digital. Desde abril, o Sesc São Paulo oferece transmissões ao vivo, direto da casa do artista ou do atleta convidado para a casa do público, com conteúdos voltados à música, teatro, dança, circo, contação de histórias e esportes.
Parte das atividades estão disponíveis no canal da instituição no YouTube: http://www.youtube.com/sescsp.
Comente com o Facebook